Conab emperra negociação de ACT mais vez

Mais uma vez o governo mostra falta de respeito com os trabalhadores e de compromisso com a sociedade, além de ficar evidente o desconhecimento por parte dos gestores do importante papel desempenhado pela CONAB no programa de segurança alimentar dos brasileiros.

A direção da empresa seguindo a cartilha de Paulo Guedes faz de tudo para emperrar as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) de 2019/2020. Primeiro a empresa não queria reconhecer a Fenadsef como representante dos trabalhadores e agora voltam a dificultar o processo negocial.

“Conseguimos na Justiça do Trabalho em maio deste ano que a Federação fosse reconhecida como a legitima representante dos trabalhadores da CONAB por unanimidade em Acórdão do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região e agora o governo precisa sentar à mesa e negociar com os trabalhadores”, disse Raimundo Pereira, presidente do Sindsep/MA.

A proposta dos empregados conta com 61 cláusulas.  Os empregados pleiteiam reajuste de 12,22% sobre salários e benefícios. Desse total, 3,70% correspondente ao INPC do período, 6,09% são relativos a perdas acumuladas levantadas por estudo do Dieese e 2% de ganho real. Além das cláusulas econômicas a categoria busca manutenção e garantia de direitos já adquiridos em cláusulas sociais, entre outros avanços em suas reivindicações.

Com as sucessivas negativas dos representantes da CONAB e sem consenso nas negociações, a Federação assegurou mais uma vez a prorrogação das cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente da categoria.

“Como ainda não temos uma decisão que favoreça a categoria, pelo menos conseguimos prorrogar até o dia 31 de dezembro todas as cláusulas do ACT vigente e continuaremos buscando garantir o melhor acordo possível para a categoria”, afirmou Valter Cezar Figueiredo, diretor da Fenadsef e secretário de comunicação do Sindsep/MA.

Com informações de www.condsef.org.br

Compartilhe!