Servidores constroem unidade histórica em congresso da maioria do Executivo

Foi a primeira vez em 29 anos que a maioria dos federais constrói uma chapa unificada e consolida a unidade entre os servidores do Executivo.

O XIII CONCONDSEF e IV CONFENADSEF terminaram nesse domingo com a tarefa de construção da resistência contra ataques aos servidores e na luta em defesa dos serviços públicos brasileiros.

Reconduzido ao cargo, o secretário-geral da Confederação, Sérgio Ronaldo da Silva, destacou a importância desse momento histórico.

“A construção dessa unidade será fundamental para enfrentarmos os desafios que não são poucos e estão sendo impostos a nós e ao serviço público brasileiro”.

Cerca de 500 representantes de dezenas de categorias do setor público participaram de três dias de debate intenso.

Além de definir a direção da maior entidade representativa de servidores federais da América Latina, a atividade apontou um calendário de lutas que culmina com a participação dos servidores na greve geral convocada por centrais sindicais no dia 18 de março.

Antes, a partir de janeiro, a Condsef/Fenadsef e suas filiadas organizam atividades e marcam presença no Congresso Nacional onde acompanham tramitação de diversos projetos que afetam o setor público.

A reforma Administrativa, que teve sua apresentação adiada pelo governo para 2020, está entre esses projetos. “Vamos marcar presença também nas reuniões dos fóruns que unificam os servidores, da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Serviços Públicos. Não vamos descansar e estaremos nas ruas contra esse projeto de desmonte do Estado”, acrescentou Sérgio.

Fonte: Condsef

Condsef realiza atividades que discutem o universo dos servidores federais

A Condsef/Fenadsef realizou na última sexta-feira, 13, um ato em frente ao bloco P do Ministério da Economia, prédio de onde o ministro Paulo Guedes despacha, afim de reforçar o descontentamento da categoria diante da política de privatizações e da precarização dos serviços públicos.

Por ocasião da realização dos Congressos da Condsef e da Fenadsef, que contou com a participação de cerca de 450 servidores de todo o país, as entidades resolveram aproveitar o contingente para a realização dessa atividade que mais uma vez demonstrou todo o descontentamento da categoria com a política irresponsável do governo federal.

“Não vamos engolir quietos essa política devastadora que está destruindo os direitos e os serviços públicos”, declarou o Secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva.

Ainda na sexta, tiveram início os XIII Concondsef e o IV Confenadsef, instâncias máximas de deliberação da categoria dos servidores públicos federais.

O evento aconteceu em Brasília até ontem, 15 de dezembro.

O Sindsep/MA foi representado por 20 delegados que foram eleitos em assembleias realizadas em todo o Maranhão, 02 delegados natos, além de 02 observadores, conforme orientação da Condsef/Fenadsef.

Durante esses três dias os servidores públicos discutiram temas referentes à reforma administrativa, redução de jornada de trabalho dos servidores, privatizações em massa de empresas estatais, revogação do Teto de Gastos e construção da Greve Geral de 18 de março, além de outras ações.

Mais informações sobre os XIII Concondsef e o IV Confenadsef no Diário de amanhã, 17 de dezembro.

Instância máxima deliberativa dos servidores federais terá início nesta sexta

Condsef/Fenadsef

Terão início simultâneo nesta sexta-feira, 13, o XIII Congresso da Condsef (Concondsef) e o IV Congresso da Fenadsef (Confenadsef), que se estenderão até domingo no Hotel Nacional, em Brasília. São aguardados cerca de 450 participantes, incluindo convidados para painel de debates sobre conjuntura e desafios para a Classe Trabalhadora, que contará com análises da CUT Nacional, Dieese, Diap e ISP. A programação ainda inclui construção de um plano de lutas e eleição de diretoria para o próximo quadriênio.

O Secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva, destaca a riqueza deste momento, em que centenas de líderes sindicais da categoria dos servidores públicos federais, vindos de todas as partes do País, encontram-se para discutir conjuntamente estratégias de reivindicação de pautas, que neste momento ultrapassam o coorporativismo. “Nossa maior preocupação no momento é pela defesa dos serviços públicos gratuitos e de qualidade. Obviamente que queremos reajuste salarial, até porque nossas remunerações estão congeladas há três anos, mas o que tem tirado nosso sono e nos enraivecido para a luta árdua é a ameaça de desmonte completo do Estado”, comenta Silva.

Reforma administrativa, redução de jornada de trabalho dos servidores, privatizações em massa de empresas estatais, revogação do Teto de Gastos e construção da Greve Geral de 18 de março, além de outras ações, devem ser os temas principais dos debates. (Confira abaixo programação completa)

Protesto inicial

Antes da abertura solene dos congressos, agendada para 17 horas, delegados já instalados em Brasília realizarão ato na porta do Bloco P do Ministério da Economia, de onde o ministro Paulo Guedes despacha. “Estamos orientando os participantes que chegarem mais cedo para irem para o ME protestar contra a política liberal deste desgoverno que quer vender o patrimônio público a preço de banana para o mercado privado. Os próximos anos não serão fáceis, mas estamos fortalecidos e organizados para parar o Brasil se for preciso. Os caminhoneiros já acordaram para as mentiras de Bolsonaro. É questão de tempo para o presidente se afundar no próprio despreparo”, afirma Sérgio Ronaldo.

O Congresso da entidade é restrito a delegados eleitos em seus estados, cadastrados com antecedência. A cobertura completa poderá ser conferida diariamente pelo site da Confederação e pelas redes sociais. As votações nas plenárias serão feitas através dos crachás dos delegados e as deliberações serão tomadas por maioria simples.

Programação

Dia 13, sexta-feira

12h – Início das Hospedagens dos Delegados (as).
14h – Inicio do Credenciamento dos Delegados (as) Titulares.
15h – Reunião da Direção Nacional da Condsef/Fenadsef.
17h – Abertura Solene dos Congressos da Condsef e Fenadsef.
17h30min – Leitura e Aprovação dos Regimentos Internos dos Congressos da Condsef e Fenadsef.
18h30min – Eleição da Comissão Eleitoral.
19h – Apresentação e Deliberação de Recursos.
19h30min – Jantar.

Dia 14, sábado

09h – Continuação do Credenciamento de Delegados(as).
09h às 12:h – Painel de Debate Sobre Conjuntura e os Desafios para a Classe Trabalhadora (Convidados: CUT, DIEESE, DIAP e ISP).
12h – Encerramento do Credenciamento dos Delegados(as) Titulares e Início do Credenciamento dos Delegados Suplentes.
12h às 13h30min– Intervalo para Almoço.
13h30min às 14h 30 min– Apresentação de Teses.
14h – Fim do Credenciamento dos delegados suplentes.
14h 30min às 18h – Plenária de Debate sobre Conjuntura Nacional e Internacional, Plano de Lutas e Pauta de Reivindicações;
19h às 21h – Reunião da Comissão de Sistematização e Relatoria;
19h – Jantar (Atividade Cultural).

Dia 15, domingo

09h às 13h – Plenária de Encaminhamentos e aprovação das resoluções sobre Conjuntura Nacional e Internacional, Plano de Lutas e Pauta de Reivindicações;
09h às 12h – Prazo para Inscrição de Chapas;
12h às 13h30min – Almoço;
13h30min às 14h – Apresentação e Defesa de Chapas;
14h às 15h – Eleição da Direção Nacional e do Conselho Fiscal da Condsef e Fenadsef;
15h às 16h – Instalação da Assembléia Geral Ordinária Eleitoral para Eleição da Direção e Conselho Fiscal da Condsef e Fenadsef;
17h- Proclamação do Resultado e Encerramento dos Congressos da Condsef e da Fenadsef.